Falhei, e agora?

:: Novidades ::

Saiba o que fazer!

 

Eu sou uma pessoa que gosta de trabalhar com metas e objetivos. Escrever com constância é uma das coisas que mais me impulsionam a continuar buscando minha carreira de escritora, então foi bem natural quando comecei o Projeto de Escrita Todo Dia.

Tudo iniciou em Fevereiro, quando eu tinha mais tempo para escrever por causa do carnaval. A ideia do projeto era simples; e o nome, autoexplicativo. Tinha que escrever todos os dias daquele mês, quantas palavras eu conseguisse. Se você ler esse post vai saber da minha conquista nesse período, que me agradou consideravelmente.

Consegui escrever quase 25.000 palavras nesse período. Antes disso, a quantidade máxima de palavras que tinha escrito em um mês foi de 16.725.

post do instagram @palomafbrito

Nem preciso dizer o quanto fiquei empolgada com o resultado né! Eu queria continuar, mas decidi dar uma pausa em março (se me lembro bem, porque eu precisava revisar alguma coisa).

Recebi várias mensagens no Direct do Instagram pedindo o template para o mês de março, mas eu não tinha. Vendo o quanto as pessoas gostaram e acompanharam o projeto, decidi voltar no mês seguinte.

Em abril o projeto se mostrou ainda melhor, mais produtivo, e consegui escrever 65.296 palavras! Eu não tinha horário para parar de escrever. Quanto mais eu conseguisse, melhor, e foi assim que mais um livro nasceu (o “livro do B”, que ainda não mostrei a vocês).

Fiquei super empolgada, pronta para aproveitar o fluxo de escrita para tirar todas as minhas ideias do papel (e são muitas!), então decidi fazer o projeto em maio também. Mas vocês já suspeitam onde isso vai parar, não é?

post do instagram @palomafbrito

Não me envergonho de dizer que em maio o projeto flopou totalmente. Eu estava cansada, passando por algumas questões pessoais delicadas e simplesmente me cobrei demais. Você também faz isso? Às vezes, sinto que me cobro ao extremo, não valorizo como deveria o que já conquistei. Mas, quando eu não o faço, também sinto que não estou dando tudo de mim. Paradoxal, né?

Enfim… em maio eu tinha proposto uma ideia diferente. Eu escreveria todos os dias, respeitando um sprint de 1 hora de escrita. Além disso, também leria diariamente por 1h.

A exaustão e o desânimo me pegaram de jeito quando já comecei o mês falhando nos meus objetivos. Fiquei desmotivada, mas segui tentando. Lá pro meio do mês, parei totalmente de fazer o projeto.

Mas essa experiência não me trouxe só coisas negativas. Pelo contrário! Refleti se deveria escrever esse post e expor minha “falha”, mas sempre tento mostrar a realidade a vocês, então qual seria o sentido de fingir que não aconteceu? Não sou perfeita, ninguém é, muito menos a minha escrita. A beleza está em evoluir a cada dia, e as experiências servem exatamente para isso. Se soubermos extrair algo de bom de cada coisa que nos acontece, garanto que você será uma pessoa diferente, provavelmente melhor, do que era antes.

Sim… eu falhei. Falhei com os projetos de escrita e leitura de maio e falhei comigo mesma (olha a cobrança básica aqui). Mas isso não é motivo para desespero.

Você também falhou em alguma coisa? Tenho quase certeza que sim. Somos imperfeitos, não conseguir realizar alguma coisa é natural. Mas agora que a falha já aconteceu…

O que fazer?

  1. Não se desespere. Outros meses virão e eu poderei escrever, assim como outras chances virão para você realizar o que deseja também.
  2. Se organize. Limpe sua mesa, organize sua mente e, se possível, sua vida. Quando tudo está organizado ao seu redor fica muito mais fácil para você começar (ou recomeçar) algum projeto.
  3. Aprenda com o erro. Meu erro foi não dar a mim mesma um tempo de descanso, e ainda colocar mais uma obrigação no meio de tudo. Da próxima vez, já sei que devo conduzir as coisas com mais leveza.
  4. Recomece. Nunca é tarde demais. A vida só vale a pena ser vivida se, pelo menos, tentarmos realizar nossos sonhos. Mesmo que a gente não alcance, é melhor do que só deixar nossas ideias no campo da imaginação.

Espero que esse post tenha sido útil para você. Eu, com certeza, ainda voltarei nele para ler o que eu pensei nessa época do flop, e acho que ficarei feliz ao ver que a Paloma do passado foi gentil e compreensiva. Tenha empatia por si mesmo.


Obrigada por ter lido! Te convido para conhecer os meus livros e contos

Deixe um comentário